Imprimir

SAPS III NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE TRANSPLANTE RENAL

Tema: Medicina

EDISON MORAES RODRIGUES FILHO
Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/sotirgs/www/terapia-intensiva-2017/show-trabalho.php on line 93

HOSPITAL DOM VICENTE SCHERER / ISCMPA
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil/RS



Introdução e objetivos: O transplante renal é a única modalidade terapêutica disponível para uma série de indivíduos em estágio final de evolução da sua doença.. O SAPS III é um modelo amplamente utilizado para predição de morte hospitalar em doentes críticos e tem sido recomendado como ideal no nosso meio. Ao contrário de outros escores possui customização para diferentes regiões do mundo. Poucos estudos tem avaliado o desempenho do SAPS III no pós-operatório de transplante renal. Nossa unidade publicou um estudo em que avaliou o desempenho da versão não customizada o SAPS III em transplantados de órgãos sólidos com perfil longe do ideal. O presente estudo avaliou a calibração da Equação customizada do SAPS III para a América latina, conforme o SMR (Standard Mortality Ratio), uma relação simplificada entre a mortalidade hospitalar observada e a mortalidade hospitalar predita (Ideal:0,9 a 1,1). Material e métodos: estudo de coorte retrospectiva incluindo todos pós-operatórios de transplante de rim no período de 01/01/2010 a 31/12/2016. Resultado:  1315 transplantados renais  Média do SAPS III: 23,24 ± 6,76  Mortalidade observada: 1,6%  Mortalidade predita: 1,7%  SMR=1,6/1,7=0,94).

Conclusão: No presente estudo, a Equação customizada do SAPS III para a América Latina apresentou excelente calibração para a predição da mortalidade de transplantados renais em pós-operatório imediato. São limitações do estudo a não avaliação da calibração pelo método de Hosmer-Lemeshow goodness-of-fit test e a não avaliação da discriminação pela curva ROC e cálculo da área sob a curva (AUC).




Imprimir